domingo, 17 de janeiro de 2016

Aida


Conhecer uma Aida pequenina em Portugal e no Brasil será um verdadeiro achado! Embora tivesse sido relativamente comum entre a população portuguesa noutros tempos, nos últimos anos Aida tem vindo a desaparecer do campo de escolhas das famílias portuguesas.

Em 2013 nasceram quatro meninas com este nome em território lusitano e em 2014 nasceram três, e mais uma quarta menina com o composto Aida Carolina! Uma opção que considero bem harmoniosa e delicada! Acredito que segundos nomes terminados em –ina podiam ser uma excelente opção para compor com Aida (por exemplo: Aida Cristina, Aida Martina ou Aida Valentina). Em 2015, nasceram também três pequenas meninas com este nome!

Aida trata-se de um nome de origem árabe, que significa o regresso, aquela que regressa ou a visitante, a visita! São significados bem interessantes que podem ser trabalhados, novamente, em compostos que liguem outros elementos igualmente interessantes do ponto de vista do significado como Aida Benedita (a visita abençoada) Aida Luzia (a que regressa da luz), Aida Oceana, Aida Paz, Aida Rosa ou Aida Serena.

Como comecei por dizer, o uso deste nome nunca foi propriamente raro em Portugal. Durante grande parte do século XX, nasciam, por ano, mais de 100 Aidas, tendo este número sido superior a 200 registo no ano de 1962! É provável, portanto, que se conheça alguma senhora acima dos 35 anos com este nome e, como a partir da década de 80 o uso do nome decresceu significativamente, é também provável que o nome hoje seja considerado ultrapassado.

E, como o português é uma língua matreira, pode ser um obstáculo ao uso do nome o facto de ser constituído por dois elementos (ai + da) independentes na nossa língua, que juntos formam uma expressão de surpresa ou constatação de perigo/lamento (ex: “ai da minha vida!”). Não creio, no entanto, que este aspeto seja tão impeditivo quanto isso, afinal de contas, Aida é um nome válido e extremamente melódico!

Tem vínculos musicais muito demarcados também, ao ser o nome da ópera homónima criada pelo italiano Giuseppe Verdi em 1871! A ópera retrata a vida de uma princesa etíope tornada escrava no Egipto que morre heroicamente para defender e salvar o seu povo! Temos, portanto, uma referência bem interessante do ponto de vista do empoderamento feminino para nos guiar!

Pessoalmente, confesso que Aida nunca me fascinou particularmente, mas depois de o conhecer melhor consigo atribuir-lhe uma beleza muito singular e passei a apreciá-lo!


Que dizem de Aida?

11 comentários:

  1. Tenho pouca simpatia e no BR é considerado ultrapassado e datado.

    ResponderEliminar
  2. não gosto.
    Adorei a foto :)

    ResponderEliminar
  3. Conheço uma Aida (Aida Letícia). Tem 23 anos, adora livros e filmes. E, principalmente, adora o próprio nome.

    ResponderEliminar
  4. Sou Aida Cristina, tenho 33 anos...todas as Aidas que conheço ou conheci ao longo da minha vida sempre foram e são pessoas mais velhas. Exceto à cerca de 8 anos onde encontrei uma menina de 2 anitos. A emoção foi alguma. Tenho pena que seja um nome ultrapassado e a cair em desuso. Gosto bem dele precisamente por ser fora do comum...

    ResponderEliminar
  5. Meu nome é Aida, não gosto do meu nome, nunca conheci outra Aida pessoalmente só pela internet que fiz amizade com uma...

    ResponderEliminar
  6. Amo meu nome, apesar de nunca ter conhecido outra Aida pessoalmente, tenho amigos que afirmaram ja ter ouvido falar sobre meu nome. Amo esse nome, faz eu me sentir mais única, singular e excêntrica. De certo modo me sinto mais especial. =)

    ResponderEliminar
  7. Minha filha nasceu em 2014, é uma das 3 meninas em Portugal com o nome de Aida. Gosto muito do nome, sua falecida avó paterna era Aida, considerada uma mártir na sua terra. Muitas histórias ouvi desta senhora, todos me diziam ias adorar conhecer a a Sr.ª Aida. Foi por isso que escolhi o nome de Aida para a minha filha, e adoro quando pergunto -" Como te chamas filha? - "Aida" diz muito bem e com um sorriso nos seu lábios. :)

    ResponderEliminar