segunda-feira, 4 de abril de 2016

Emídio


Mais um nome masculino que pode ser retirado das nossas gavetas. Já não nos encontramos nos tempos áureos de Emídio, as famílias portuguesas e brasileiras têm insistentemente procurado outras opções de nomes que não tiveram períodos de popularidade há 40/50 anos atrás. É a evolução, dirão. São ciclos. Durante muitos anos, por exemplo, os únicos Vicentes que conhecíamos em Portugal e no Brasil eram todos velhotes ou então adultos já muito bem formados; hoje em dia, existem imensos pequenitos com este nome, algo que seria impensável há cerca de 10/15 anos atrás. E é muito este fenómeno cíclico mas pouco previsível que me fascina no uso dos nomes. Nada nos garante que dentro de duas ou três décadas nomes como Avelino ou Emídio apareçam nos nossos tops nacionais!

Com efeito, Emídio foi um nome muito utilizado no passado, encontrando-se centenas de homens com este nome em bases de dados antigas como as da Associação de Amigos da Torre do Tombo, em Portugal. Sabe-se também que entre 1920 e 1980 o número de Emídios a serem registados por ano em Portugal foi constante, mantendo-se sempre assim dos 30 registos anuais até à década de 70, em que entrou em queda até os nossos dias. Chegou, inclusive, a atingir 90 registos no ano de 1947, o que corresponderia ao uso atual de nomes como Davi, Jorge, Kevin ou Sebastião.

Ainda assim, apesar de ser raro, o nome continua a ser utilizado tendo sido registados em 2013 dois pequenos Emídios em Portugal, juntamente com os compostos Emídio Mateus e Manuel Emídio. No ano seguinte, foi registado um Emídio Fernando e em 2015 não houve nenhum registo conhecido. No entanto, do outro lado do Atlântico, em São Paulo, foi registado em 2015 um pequeno Emídio e os compostos Davi Emídio (2), Emídio Bernardo e Nícolas Emídio.

No que concerne a origem do nome, a maior parte das fontes tem dificuldade em atribuir uma explicação, sendo que concordam que chegou a nós a partir do latim Emygdius. O Behind the Name propõe que este nome se terá originado a partir de um nome gaulês, cujo significado é desconhecido atualmente. Já Ana Belo (1997) diz-nos que existirá uma forte probabilidade de Emygdius ser uma tradução latina da palavra grega amygdale, que significa amêndoa. Esta palavra grega hoje em dia está presente no nosso vocabulário como amígdala, o nome dado a várias estruturas corporais e também a duas estruturas cerebrais muito importantes para a regulação do afeto e das emoções.

Resumindo e concluindo, acredito que Emídio é um nome muito interessante e meigo. É muito parecido a um favorito meu, Emílio, o que o faz ganhar pontos na minha perspetiva e é também internacional. Consigo imaginá-lo a ser dito com um ar italiano muito atrativo e, talvez por isso (a mente dá muitas voltas), acredito que tem um certo ar romântico.

Já pararam para pensar em Emídio?


Fontes Consultadas:
Ana Belo (1997) Mil e tal nomes próprios, ARPEN/SP, AATT, Behind the Name, IRN, Nomes e Mais Nomes e SPIE.

6 comentários:

  1. Emídio tem apenas uma letrinha diferente de Emílio, mas os nomes me transmitem sensações bem distintas...Enquanto Emílio me passa docilidade, sinto em Emídio um ar mais sério, rígido. Imaginando no sotaque italiano, acho que Emídio fica mais leve e até meio sexy!

    ResponderEliminar
  2. Emídio parece-me mais senhoril do que Emílio, que considero mais intemporal, mas não é um mau nome por isso :)

    ResponderEliminar
  3. Não gosto porque me transmite tristeza, por causa da sonoridade.

    ResponderEliminar
  4. não gosto, já Emílio simpatizo um pouco .

    ResponderEliminar
  5. Meu pai tem Emídio como segundo nome mas na família dele é como um sobrenome e não um nome. Eu mesma só fui saber que Emídio era um nome próprio depois de crescida. Ahm... sou do Brasil e não conheço ninguém que seja chamado de Emídio.

    ResponderEliminar